A “Nuvem veio como uma evolução do antigo “mainframe”, só que muito mais poderoso, e dessa vez posicionado em local quase indefinido, possuindo capacidade de armazenamento e processamento vistos como infinitos.

A própria Microsoft tem revisto seus modelos de negócios se voltando para o mobile device, deixando de lado o fornecimento de software como seu core business.

Números

Microsoft Azure é o serviço de nuvem da Microsoft, ele é formado (até esta data) por 19 datacenters espalhados pelo mundo. Na América Latina, há um no Brasil- em São Paulo.

Datacenter azure

Datacenter do Microsoft Azure (divulgação). Fonte: Microsoft

Em termos de capacidade de memória,  o Azure equivale a soma de todos os Data Centers da Amazon e Google juntos.

Em termos técnicos, Azure também define o sistema operacional que gerencia este conjunto de datacenters e seu conjunto de hardware.

Cada Data Center do Azure possui 600.000 servidores e seu tamanho equivale a 10 campos de futebol americano.

Com isso, hoje, o Microsoft Azure possui mais poder computacional do que todo o planeta tinha em 1999.

Seus datacenters são formados por containers, onde os hacks com servidores são dispostos já interligados e funcionam de modo plug&play. Caso necessite expandir a capacidade do Data Center, basta conectar o sistema PLC e de refrigeração ao container e ligá-lo. Com isso, o container, que possui seu próprio IP, baixa os softwares necessários, os instala e permite que o datacenter passe a ter mais 3.000 servidores à disposição.

Container de servidores

Container do Azure é plug&play e possui 3.000 servidores (divulgação)

Cada máquina virtual oferecida possui 32 núcleos com 400 Gb de RAM. As máquinas do seu servidor pessoal podem ser subidas para o Azure, baixadas de volta para seu ambiente interno ou migradas para outro fornecedor de nuvem pública.

Back-up e segurança

Toda informação no datacenter é guardada em 3 discos separados, em hacks separados. Caso um deles queime, a informação é automaticamente replicada de um dos outros 2 discos bons para um quarto disco, e o disco queimado é substituído. Este backup pode ser duplicado caso o cliente deseje, ou dividido entre datacenters diferentes.

O Azure cumpre com uma ampla variedade de normas de conformidade internacionais e específicas da indústria, como ISO 27001, HIPAA, FedRAMP, SOC 1 e SOC 2, bem como com normas específicas de certos países, incluindo o IRAP da Austrália, o G-Cloud do Reino Unido e o MTCS de Cingapura.

A Microsoft, também, foi a primeira a adotar o código internacional uniforme de prática para a privacidade da nuvem, o ISO/IEC 27018, que regula o processamento de informações pessoais por provedores de serviços de nuvem.

 

certificações de segurança

Certificações de segurança do MS Azure

Apesar de segurança ser o quesito em que os clientes de cloud computing mais questionam, deve-se refletir antes, qual nível de confiança o cliente já tem nos serviços de nuvem pública que ele já utiliza a algum tempo.

Por exemplo, mesmo que você não utilize o serviço de home-banking, onde está seu dinheiro agora?

Nossas economias, hoje, são apenas números em uma base de dados em algum datacenter do seu banco. E você pergunta para seu gerente quais são os cuidados de segurança em nuvem que o banco utiliza?

Custos do MS Azure

Os custos variam conforme o tipo de serviço de cloud for utilizado.

Uma opção econômica para cargas de trabalho de desenvolvimento, servidores de teste e outros aplicativos que não exigem balanceamento de carga, escalação automática ou máquinas virtuais de memória intensiva podem custar R$ 37,00/mês para uma máquina com 1 núcleo, 750MB de RAM e 20GB  de espaço em disco. Outra opção custa R$ 1.283,00/mês para uma máquina de 8 núcleos, com 14GB de RAM e 240GB de espaço.

Pode-se usar o Azure por menos tempo. Por exemplo, o uso de 120 servidores, por 8 horas, para rodar alguma tarefa específica custa U$ 70,00.