Como o Trello salva minha rotina

As dicas a respeito do Trello também podem ser úteis para sua vida se você se identificar com pelo menos 50% da história a seguir:

Minha rotina impossível

Existem pessoas que, como eu, não conseguem se contentar com poucas atividades ocupando a rotina diária, e assim se dispõe a participar de muitos projetos, atividades curriculares e extracurriculares.

Isto, indiscutivelmente, pode ser muito perigoso e nós, os multitarefas do sistema operacional que é a vida, podemos acabar sufocados em baixo de uma pilha de afazeres impossível de ser cumprida.

Durante dois semestres da faculdade eu me vi perdida, e isso, em grande parte, foi devido ao fato de ter adentrado a uma Universidade de tempo integral; todas as tarefas curriculares tinham horários que a minha rotina, de alguém que acabará de sair do cursinho, não estava adaptada. Assim, passei um ano inteiro tentando me habituar e procurando métodos eficientes para organizar meu tempo e minhas tarefas.

A grande dificuldade que tive durante um ano inteiro decorreu da falta de visibilidade que eu tinha do meu tempo. Isto é, eu sempre fui acostumada a estudar durante o período da manhã – isso foi constante por 18 anos – e arrisco dizer que meu cérebro tinha esse tempo como um tempo ocupado. Assim, quando na universidade eu tinha alguns horários pela manhã, outros a tarde e alguns poucos a noite, fiquei totalmente perdida.

No primeiro semestre existiam vácuos durante a manhã, ou a tarde, que poderiam ser preenchidos com algumas atividades – eu poderia terminar aquele código da aula de Lógica da Programação em algum laboratório; poderia resolver a lista de Geometria Analítica e Álgebra Linear. Porém, para o meu cérebro insistente, a manhã só existia para aulas, e a tarde para estudos; se algo fugisse disso, eu precisaria descansar.

O Trello

A boa notícia é que depois de muito pensar, depois de passar por oficinas de gerenciamento de tempo e de metodologias ágeis para projetos, eu achei a plataforma que se encaixou perfeitamente em meu vasto mundo de necessidades; o Trello.

O Trello é uma ferramenta de gerenciamento de projetos ou, no meu caso, de vida, que tem como base o conceito de KANBAN – de origem japonesa e significa literalmente “cartão” ou “sinalização”. Ele funciona através de listas completamente versáteis a adaptáveis, cujos seus tópicos podem ser transportados de para outra, de um quadro para outro, e afins; além disso podem ser adicionadas etiquetas, fotos, comentários, tudo ao gosto do usuário.

Me considero uma pessoa criativa e por isso me adaptei perfeitamente ao site e aplicativo. Isso porque acredito que o Trello seja como uma página Web que você molda do seu próprio jeito, e é sempre divertido colocar nossa cara nas coisas; por isso eu quero mostrar a todos os leitores do Zeta o modo que encontrei para gerenciar toda a minha vida, assim confiando que talvez seja adaptável as necessidades de vocês, leitores.

Atividades Diárias

Meu processo de desbravamento do Trello é constante, e todos os dias descubro que posso usá-lo para uma finalidade diferente. Recentemente percebi que existiam algumas atividades que eu esquecia de executar, ou sempre deixava para depois, porque não fazia um planejamento diário de tudo que eu devia me atentar durante o dia. Assim, passei a projetar cada detalhe diário, para que nada passasse em branco.

OBS.: A quarta está em branco pois fiz o post na terça, e somente no fim do dia faço o planejamento.

Organização por disciplinas

Comecei a organizar minhas obrigações quanto às disciplinas da Universidade em um quadro em que eu descrevo o que preciso fazer, ordenando por ordem de urgência; quando as atividades são feitas, eu as adiciono no nome das disciplinas. Assim, com o passar do semestre, eu consigo visualizar o meu desempenho em cada uma delas.

Confesso que foi assustador quando algumas provas chegaram e percebi que estava em falta em determinada disciplina.

OBS.: As etiquetas vermelhas significam MUITA URGÊNCIA, MEU DEUS DO CÉU!

Quadros

Os quadros dizem respeito a cada atividade que desempenho. O quadro da faculdade é onde eu coloco todos os meus afazeres acadêmicos, com exceção da minha pesquisa científica – organizada em um quadro separadamente; o quadro Resultados de Reuniões é onde eu anoto tudo que foi discutido das reuniões que tive.

Outros quadros não apresentados dizem respeito a projetos que participo ou atividades que desempenho ao longo da semana e que também precisam ser organizadas.

 

 

Meu Kanban pessoal

Por fim, existe um quadro que é, dentre todos, um dos que eu mais gostaria de ver lotado, porém as obrigações me impedem de colocar muito esforço nele. O quadro “meu Kanban pessoal” é aquele que eu adiciono todas atividades que não são obrigações, mas que fazem parte do meu enriquecimento pessoal de conteúdo; uma nova linguagem de programação, um artigo que quero ler, aquele capítulo de um livro interessante, aquele café com as amigas que eu tanto amo.

Nesse quadro, por sua vez, eu faço o “checklist” separando por meses; ou seja, conforme as atividades vão sendo concluídas, eu as adiciono no mês em que as desenvolvi. Assim, no fim de 2017, posso ver minha evolução ao longo do ano.

Victoria

Estudante de Engenharia da Computação pela Universidade Federal de Itajubá, apaixonada por empreendedorismo, educação, programação e tudo que você me apresentar e que eu adquira alguma noção.