Conheça o Linux

Linux (Foto:DIVULGAÇÃO)
Linux (Foto:DIVULGAÇÃO)

Em meados do ano de 1991, com o início de um projeto pessoal de um estudante finlandês chamado Linus Torvalds, começou a surgir a ideia desse sistema operacional, o Linux. Ele vinha, com uma grande inovação, com um novo núcleo para sistema operacional.

A partir daí, houve um crescimento constante no decorrer da história. Com o lançamento de seu código-fonte, o grupo foi crescendo até que hoje em dia é o sistema livre mais utilizado no mundo.

Esse famoso núcleo foi escrito pelo estudante Torvalds, próprio fundador do sistema. Ele estudava ciência da computação na universidade de Helsinki, no seu país natal. Mas é claro, que ele contou com a ajuda de vários programadores voluntários para que tudo corresse bem. Essas contribuições vieram através da Usenet (que era uma espécie de sistema de listas de discussão para diversos temas).

Torvalds começou o desenvolvimento do sistema como um projeto particular, inspirado no seu interesse pelos sistemas UNIX (sistema aberto), principalmente no “Minix“, criado por Andrew Tanenbaum. Linus dizia que estava fazendo “um Minix melhor que o Minix”.Com o projeto totalmente avançado, Linus Torvalds queria dar o nome de Freax ao sistema, cujo nome ja tinha usado para guardar os arquivos iniciais do mesmo. O nome Linux já tinha sido considerado, mas Linus descartou por achar muito egocêntrico. Algum tempo depois, Ari Lemmke, que trabalhava com Linus Torvalds, e tinha alguma influência sobre o sistema, deu o nome do projeto de Linux, no servidor, sem consultar Torvalds, que com tudo isso, acabou cedendo.

Inicialmente, Linus Torvalds lançou o Linux com proibição para uso comercial, porém, isso foi mudado rapidamente, com a licença General Public License (GNU). Essa licença, permite que a distribuição do programa que faz parte dela, possa ser distribuído e vendido, com possíveis modificações.

Existem dois movimentos que controlam e gerenciam o licenciamento dos sistemas e programas livres, sendo eles de código aberto ou softwares livres. Confira aqui a comparação dos dois.

O Linux, oferece muitos aplicativos “open source“, porém não são todos que podem ser considerados programas livres. Isso depende de forma exclusiva, da licença a que os programas estão distribuídos. Os mesmos, possuem diversas funcionalidades, como ferramentas de escritório, jogos, edição de imagem, os próprios sistemas operacionais etc.

O símbolo do software, que foi colocado como imagem deste post, foi escolhido pelo próprio Linus Torvalds. O mesmo, estava um dia no zoológico e foi mordido por um pinguim.

A partir daí, diversas tentativas de mudanças e ideias novas foram impostas para ser o logotipo do Linux, mas Torvalds sempre foi relutante e quis deixar claro que queria um pinguim simpático e gordinho, para que até as crianças pudessem ser levadas pelo animal.

Existem diversas distribuições do Linux, que são controlados e gerenciados pelas comunidades que existem em volta do mundo. Alguns exemplos delas são: Debian, Mandriva, Ubuntu, Fedora, etc. Mas isso será repassado aqui no Zeta em breve.

 

Matheus Dias

18, estudante de sistemas para internet. Fascinado por tecnologia e colunista do Ctrl Zeta!