Qual a experiência de participar da Brasil Game Show 2017? #EuNaBGS

A Brasil Game Show acabou, mas ainda tem muita coisa boa para ser contada sobre os dias em que o evento aconteceu. Por isso vem aí mais uma entrevista para vocês, a primeira edição do #EuNaBGS.A Brasil Game Show acabou mas ainda tem muita coisa boa para ser contado sobre esses dias que aconteceram o evento, por isto vem mais uma entrevista para vocês, a primeira edição do #EuNaBGS.

Após realizar minha primeira entrevista em outro evento que foi a Campus Party, venho trazer para vocês mais uma vez a experiência do público.

A entrevista de hoje é com a Beatriz Santos, de 16 anos. Ela está cursando o ensino médio, mas mesmo assim já sonha em trabalhar com design de games ou com informática.

Foi a primeira vez que ela participou da BGS (ela nunca havia participado de algum outro evento desse tipo).

Acompanhe agora um pouco do bate papo que tive com ela:

O que foi a Brasil Game Show 2017?

Ctrl Zeta: Por qual razão decidiu vir à Brasil Game Show?

Beatriz: Sempre tive interesse em jogos, gosto de acompanhar lançamentos e também queria ver alguns jogadores de e-Sports.

Ctrl Zeta: O que foi a Brasil Game Show para você?

Beatriz: A Brasil Game Show foi uma ótima experiência, principalmente pelo contato com desenvolvedores e para entender mais sobre o meio em que eu quero estar algum dia.

Jogos e mais Jogos! #EuNaBGS

Ctrl Zeta: Quais jogos você jogou durante o evento? O que achou deles?

Beatriz: Joguei o Zaaljin, um jogo na pegada do antigo Grandchase, foi o que eu mais gostei de jogar e ver outras pessoas jogando.

Também joguei o Black Iris, muito parecido com Dark Souls, é impossível não notar algumas semelhanças entre gráficos, ataques e jogabilidade.

Outros jogos eu achei mais interessante apenas ver pelos telões.

A Brasil Game Show acabou mas ainda tem muita coisa boa para ser contado sobre esses dias que aconteceram o evento, por isto vem mais uma entrevista para vocês, a primeira edição do #EuNaBGS.

O ponto negativo são as filas…

A Brasil Game Show acabou mas ainda tem muita coisa boa para ser contado sobre esses dias que aconteceram o evento, por isto vem mais uma entrevista para vocês, a primeira edição do #EuNaBGS.Ctrl Zeta: Pode me citar um aspecto positivo e outro negativo do dia que passou na BGS?

Beatriz: Bem, um aspecto positivo é você poder ter todo o contato com desenvolvedores brasileiros, testar jogos nacionais e acompanhar melhor o nosso cenário.

O ponto negativo são as filas e algumas staffs que tiverem uma atitude mais rude com os fãs que estavam nas filas para tirar fotos com youtubers, players, streamers etc.

Ctrl Zeta: Se fosse possível mudar algo do seu dia na BGS, o que seria?

Beatriz: Eu teria chegado mais cedo no evento. A fila é grande e a espera pode ser um pouco cansativa.

Ctrl Zeta: De 0 a 10, qual a nota você daria para a BGS nos seguintes quesitos:A Brasil Game Show acabou mas ainda tem muita coisa boa para ser contado sobre esses dias que aconteceram o evento, por isto vem mais uma entrevista para vocês, a primeira edição do #EuNaBGS.

  • Segurança: 10
  • Limpeza: 9,5
  • Atrações: 10

Ctrl Zeta: Qual recado você daria para uma pessoa que nunca participou de um evento como este?

Beatriz:  Vá preparado pra andar, leve água, sempre use o mapa que te oferecem na entrada e tenha calma com seus ídolos.

Andar com algum amigo dentro do evento sempre é divertido, mas vocês podem acabar se desencontrando, então, levem celular pra comunicação ser mais fácil.

Que venha a BGS 2018!

Chegamos ao fim de mais um bate papo com o público sobre a experiência deles em eventos.

Também foi na BGS deste ano e quer compartilhar conosco? Fale conosco nas nossas redes sociais e use a tag #EuNaBGS

Em 2018 esperamos estar lá na BGS, e você? Nos vemos no próximo evento!

 

Revisado por: Romário Sergio

Caio Lourenço

Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Faculdade de Tecnologia de Carapicuíba