Fala galera! Depois de um longo tempo sem escrever, eis que eu to de volta com um tema que acho bem interessante: Geração mi mi mi.

Certamente, se você usa a internet com frequência já deve ter lido: “Geração mi mi mi” e sobre a sua incrível capacidade de ‘se doer’ exageradamente por absolutamente tudo.

Eu estava escutando Leandro Karnal contar uma de suas experiências com essa geração, ele dizia:

“Certa fez dei uma palestra sobre Heráclito, Socrates e Tales de Mileto, logo depois recebo um protesto feminista que eu não citei nenhuma pré-socrática mulher. Em minha formação eu não alcancei o ponto de conhecer uma”

Ouvindo isso eu ri muito, sério MUITO. Não pelo o que ele disse necessariamente, mas sim porque já presencie muitos fatos parecidos. Então para meu conhecimento, decidi realizar uma pesquisa sobre essa “Geração mi mi mi”.

Em minhas pesquisas descobri os seguintes fatos:

  • Eles acordam ao meio dia
  • Não arrumam a cama
  • Almoçam e não lavam o prato
  • Após o ritual matinal eles se conectam no wi-fi pago pelos pais opressores
  • Criticam tudo sem provas
  • Não aceitam opiniões contrarias as deles
  • Acham que utopia é apenas uma palavra

E finalizamos por aqui, já que a lista é vasta.

Lendo diversos posts sobre essa geração eu comecei a notar algo, que é a referência a essa geração se dá pela sua imaturidade e sonhos utópicos.

Em sua grande maioria são pessoas que brigam sem saber o porquê estão brigando, gritam sem saber o motivo, se doem sem sentir a real dor.

Eu refleti sobre aqueles textos e fui um pouco além, e a minha descoberta foi sensacional.

Geração mi mi mi

Conclui então que “Geração mi mi mi” não é com relação a idade das pessoas, como seu próprio nome sugere e os autores dos posts que eu li deixavam isso bem claro.

Geração mi mi mi como estilo de vida

O estilo de vida “Geração mi mi mi”, sim um estilo de vida.

Eu li diversos posts sobre o como essa “geração” não gosta disso, não gosta daquilo, reclama de A, reclama de B e assim vai, mas a verdade é apenas uma: você se tornou aquilo que mais odeia.

Vamos aos fatos: essa geração ela foi moldada pela geração passada, muitos dos comportamentos que vemos hoje são reflexo do que eles apreenderam com os pais.

Sem generalizar, mas a grande maioria dos pais tentaram dar tudo o que não tiveram para os filhos e esqueceram do mais básico: dar aquilo o que os fizeram ser quem são.

Eu olhei rapidamente nas redes sociais, e pessoas nascidas antes de 1990 estão fazendo exatamente aquilo que a “Geração mi mi mi” faz, por exemplo. Também recordo muito bem dos famosos protestos dos R$ 0,20 (o primeiro vídeo que vi, foi do Felipe Neto [como detesto esse cara], ali eu pensei: agora vai, vamos mudar esse país.

O desfecho

Tristeza do meu coração, mas aquilo foi apenas para tirar um grande gigante adormecido a “Geração mi mi mi”. Lembro-me bem que os protestos começaram quando o Governo fez um reajuste na tarifa dos ônibus e os estudantes não aceitaram isso. Então foram para rua com frases de efeito, discursos inflamados de belas palavras de um mundo em que nem mesmo eles acreditavam.

A luta pelos R$ 0,20 centavos se encerrou com o passe livre para os estudantes, meses mais tarde quem pagou a conta foi o empregador.

“Geração mi mi mi” é um estilo de vida que a grande massa adota cada vez mais e de uma forma bem preocupante. 

Mas como saber se você está nesse estilo de vida que te cega e é difícil sair, preparei uma lista para você descobrir se você está contaminado por esse mal, hahahaha

Lista:

Reclamar das ações do outro

Sabe aquele vizinho insuportável com som auto?

Você reclama dele porque tem uma prova amanhã e precisa descansar, mas no final de semana está com som no máximo para poder faxinar a casa e cantando mal pra caramba.

Revisado por: Ana Carolina

About The Author

Sou o gerente do hospicio, hahaha. Uma ideia bem boba que surgiu em uma conversa informal na faculdade, hoje é esse projeto que me orgulha tanto :)

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.