Nesta última semana ocorreu a Brasil Game Show, a maior feira de games da América Latina, e como participação especial houve uma estande do Médicos Sem Fronteiras.

Mas.. você sabe quem eles são?

Médicos Sem Fronteiras, ou MSF, é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde para pessoas afetadas em crises humanitárias.

A organização foi criada em 1971 na França por jovens médicos e jornalistas que atuaram diretamente na Nigéria durante uma grande guerra civil no país. Depois das dificuldades que tiveram durante o tratamento aos feridos, eles perceberam que deveriam fazer algo.

A principal atuação deles é médica, dando assistência e cuidados preventivos a todos que necessitam, independente do país. Em casos que somente a atuação médica não é suficiente, eles fornecem água, alimento e até mesmo abrigos.

Mesmo sendo uma organização independente de um só país e sem fins lucrativos, infelizmente existem lugares que não permitem a entrada da organização (e quando são encontrados escondidos, são perseguidos).

Você sabe o que o Médicos Sem Fronteiras faz?

Situações de emergência pedem resposta rápida, com atendimento médico especializado e apoio logístico, mas falhas crônicas no sistema de saúde local, como a escassez de instalações de saúde, de profissionais qualificados e a inexistência da oferta de serviços gratuitos para populações sem recursos financeiros, também podem motivar a atuação da organização.

Independente, neutra e imparcial, MSF determina, de acordo com sua própria avaliação, onde, quando e como agir. Quando a atuação se dá em resposta a uma emergência repentina, como uma catástrofe natural, ela pode ser viabilizada entre 48 e 72 horas.

Por trás da agilidade da MSF está um sistema de logística extremamente eficiente: em 1980, a organização passou a utilizar kits personalizados e adaptados para cada contexto, que são pré-embalados e prontos para viagem e são constantemente aprimorados.

Os kits contém medicamentos, suprimentos e equipamentos básicos e atendem desde campanhas de vacinação até a montagem de um hospital inflável.

MSF também procura unir-se a grupos de pacientes para sensibilizar e, às vezes, pressionar os atores envolvidos – órgãos e instituições internacionais e a indústria farmacêutica – para que as populações que mais precisam tenham acesso à medicamentos de qualidade.

*As informações acima foram retiradas do site do Médicos Sem Fronteiras

Mas porque eles estiveram na BGS 2018?

Com um óculos de realidade virtual, o Médicos Sem Fronteiras teve uma estande própria nesta edição da BGS, no qual além de explicar ao público a conscientização de apoiar a organização, eles mostraram o que acontece dentro de um hospital que eles trabalham.

Acho que todos nós podemos imaginar o que pode acontecer em um hospital dentro de um país que está em guerra, epidemias ou desastres naturais, mas falo por experiência própria que a sensação é muito diferente.

Quem passava pelo estande pôde usar o óculos e ver com os próprios olhos o que acontece com os médicos, enfermeiros e pacientes que estão dentro de um hospital em meio ao caos e a guerra.

Durante o jogo a pessoa está nos olhos de um paciente sentado e em torno dele é possível ver a agitação de todo o hospital enquanto sons de bombas explodindo, pessoas correndo de um lado para outro e pacientes sendo atendidos podem ser ouvidos.

No fim uma última explosão faz com que a tela fique toda preta e o jogo se encerre, fazendo infelizmente com que nossa imaginação nos explique o que aconteceu…

É uma sensação muito triste saber como realmente funciona o trabalho deles, mas acho necessário todos saberem para que possamos contribuir cada vez mais.

About The Author

Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Faculdade de Tecnologia de Carapicuíba

Related Posts