Olá leitor ZETA,

Nessa época de Festas de Final de Ano, todo mundo que eu encontro sejam alunos, amigos, leitores ou familiares. Querem uma opinião sobre REFLEXÕES do que fez no ano que está acabando, e outras REFLEXÕES sobre o que pretendem fazer no próximo ano. Mas a pergunta de todos é sempre a mesma: QUAL É A BOA PARA O PRÓXIMO ANO?

E a minha resposta é também sempre a mesma: O que você realmente quer?

Coisa de Coach fazer novas perguntas. E ninguém sabe ao certo o que quer! Bom, mas o que eu tenho para te contar hoje é sobre O NATAL.

Sim, o natal que passou a uns dias. Porque apesar das dúvidas que temos sobre nossas escolhas, para determinarmos ‘QUAL É A BOA’ o natal é sem dúvidas uma data que faz as pessoas mudarem de alguma forma, até aprenderem exatamente o que é o natal;

Então eu resolvi responder essa pergunta, sem fazer nova pergunta, e sim contando uma história que somente eu posso contar: a minha história dos meus natais. Acho que ficou legal. Confere ai!

A magia!

O primeiro natal que me lembro foi o de 1975, em que eu tinha apenas 7 anos, e por isso sabia que que a Guerra do Vietnã tinha acabado ou que os Beatles estavam no auge da carreira e aqui no Brasil começava o movimento pró-alcool como combustíveis. Pra mim, natal ainda era o momento do papai noel deixar um brinquedo de baixo da árvore, por isso tinha que dormir cedo para o bom velhinho pudesse fazer isso sem que o vissem e, no dia de natal pela manhã acordava e ía diretamente para árvore verificar os presente! Uma sensação única, inexplicável, saber que aquele velhinho se preocupava comigo, mesmo que fosse um presente simples como uma bola de “capotão”. O significado de NATAL era simplesmente esse pra mim com apenas 7 anos de idade.

Os anos iam se passando e com 14 anos, em 1982, eu não tava nem aí pra guerra das Malvinas e nem para eleição de Tancredo Neves como presidente e o término da ditadura, por exemplo.
Mas eu só queria saber da copa do mundo em que o Brasil foi eliminado pela Itália com o melhor time já montado depois de 1970. Aliás, nessa altura eu já sabia que meus pais eram quem compravam os presentes e que não existia bom velhinho! Eu que já trabalhava desde os 11 anos e não via portanto, magia nenhuma naquela árvore e na espera da meia noite. Então tornou-se apenas um bom momento de estar com os meus amigos para beber alguma coisa alcoólica e falar bobagens pra impressionar alguma garota. O significado do NATAL era apenas diversão!

Em 1989, já com 21 anos, o muro de Berlim caiu, houve a maior eleição da história popular do Brasil entre Lula e Collor, a AIDS dava suas caras pelo Brasil e Cazuza mostrava para todos como combater essa doença, e eu estava atento a esses acontecimentos. Mas nesse momento o natal era pra mim um excelente motivo para ficar com uma garota que eu tava muito afim.

Assim você convida ela pra passar a noite de Natal juntos e depois da meia noite poder ficar a sós; E nessa altura da vida, o significado do natal já não tinha papai noel, nem árvore, nem presentes, nem amigos e nem diversão! Apenas um grande momento com a garota certa!

Grandes mudanças

Em 1996 eu estava com 28 anos e os acontecimentos ficaram muito mais próximos de nós com o advento da internet: eu, por exemplo, estava triste com a morte dos Mamonas Assassinas, e paralelamente, era criado o Black Panther Party nos EUA: a festa dos Panteras Negras, movimento negro.

E o natal era mágico novamente, porque eu tinha um filho e eu queria lhe proporcionar aquela sensação de ganhar algo especial deixado pelo bom velhinho! E então o significado do Natal era família novamente: ceiar com a presença de quem amamos e dar o prazer aos novos integrantes da família com muita alegria!

Aos 35 anos no ano de 2003, o Brasil começava a ser comandado por Lula com popularidade e o congresso na mão, Obama era presidente dos EUA e fazia um excelente governo. Eu estava a espera de mais uma integrante pra família, sabendo que na noite de Natal ia fazer a alegria do filho e que no próximo ano teríamos mais uma filha para fazer a noite de Natal ficar ainda mais especial! O significado do Natal era esperança, mas continuávamos apenas festejando. Comendo e bebendo, trocando presentes e o significado do natal ainda estava em segundo plano pra mim.

Quando cheguei aos 42 anos em 2010, as coisas começaram a mudar muito. Então nem dá para destacar o que aconteceu de importante, pois tudo passou a ter uma importância feroz na mídia; Os filhos crescidos e sem acreditar no bom velhinho, família toda encaminhada, mudanças drásticas com relação a trabalho e política no país! Dessa forma a gente começa a lembrar do tempo que era criança e ia na catequese na igreja e a importância do nascimento de Jesus Cristo. E o significado do natal passa a ser o nascimento de Jesus. O aniversariante do dia 25 de dezembro demora muito pra ser lembrado! E assim retomar a importância verdadeira do significado do natal.

Em 2017 ficaram ainda pior os acontecimentos, pois as FAKENEWS tomaram as mídias e precisa se ter certeza se as notícias procedem; Eu tinha 49 anos, o amor dos filhos, esposa e família, que é inegável nesta data, mas o amor de Jesus, o aniversariante, esse sim deve ser comemorado. E de que forma? Da maneira mais simples, amando ao próximo como a nós mesmos! Sem presentes, sem comida exagerada (que sobra e é jogada no lixo), sem hipocrisia de amizades. Mas simplesmente respeitando a cada ser humano do jeito que cada um é!

Chegando a conclusões

Agora em 2019 tenho 51 anos, prestes a completar 52, agradeço a Deus pela oportunidade de comemorar mais um aniversário de Jesus, com quem amo. E principalmente respeitando aqueles que eu não amo da mesma forma, porque ainda sou egoísta e preciso aprender muito mais!

Se você é um “NECO RIBEIRO”, e se identificou com esse texto, compartilhe com seus amigos e familiares, e deixe seu comentário!

Excelente Festas a todos pensem nisso!!!

Neco Ribeiro

About The Author

Colunista

Neco Ribeiro é Coach formado pela ACI – Academia de Coaching Integrativo, chancelado pela ALUBRAT – Associação Luso Brasileira de Transpessoal. Coordenador e Professor de Coaching no IBRESP – Instituto Brasileiro de estudos e Pesquisa. Professor Universitário na Pós-UNG – Universidade de Guarulhos, professor no Sindicato dos bancários do ABC. Autor do livro “Ser Positivo“, colunista no site Zeta e Palestrante em diversas áreas. Já atendeu mais de 300 clientes em processos de Coaching e obteve resultados surpreendentes. Autor do Projeto “Curar sua vida é mais simples do que você Pensa!” – Com aceitação de estudos dos Modelos mentais!

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.