Olá amigos leitores do Zeta!

Eu li no site da revista Época Negócios sobre esse assunto, e resolvi dar um pitaco também. Mas discordo quando dizem que os jovens não reclamam de trabalhar mais do que contratado, vamos ver como é isso?

Entendendo a Geração Z

Os profissionais nascidos entre 1997 e 2002, chamados de geração Z, desejam receber uma promoção em pouco tempo e buscam estabilidade, mesmo que isso signifique trabalhar mais horas. Esse é o resultado de uma pesquisa da InsideOut Development, que busca traçar o perfil da geração que já marca presença no mercado de trabalho.

Já me disseram várias vezes que contra fatos não há argumentos. Então quer dizer que uma pesquisa é fato e não se pode contestar? Bom, eu entendi perfeitamente a pesquisa mas não concordo com o fato de que os jovens estão dispostos a trabalhar mais para ter o sucesso rapidamente. Trabalho com jovens da geração Z a mais de 5 anos, dando aulas e em projetos e não é isso que vejo da grande maioria. Onde será que fizeram essa pesquisa? O fato é que nesses 5 anos trabalhando com esses jovens (e não foram poucos), ouvi diversas conversas de que queriam ser promovidos, mas pelo que faziam e não por fazerem mais do que estava estipulado no contrato de trabalho.

Geração Z está dominando?

Vejam bem, a pesquisa diz “Segundo a pesquisa, 75% acreditam que deveria ser promovido depois de apenas um ano na empresa e 32% querem uma promoção depois de seis meses. Os dados ainda revelam que a essa geração é ambiciosa: dois terços dizem que o objetivo é ser o melhor na sua profissão”. Mas ninguém quer ficar um minuto a mais depois do horário. Essa ambição portanto, chega a ser ridícula devido à falta de comprometimento e interesse por outras áreas da empresa em que trabalham. Querem promoção em curto espaço de tempo, mas a maioria não faz um curso de aprimoramento de habilidades neste período.

Na verdade, essa minha opinião está ligada aos alunos da universidade que ministro aulas nos últimos 5 anos e também os jovens que trabalharam em projetos nos quais eu trabalhei. Comprovei que se tem algo a mais para fazer e vai dar um certo desgaste, os jovens são os primeiros e protelar para o dia seguinte.

A geração Z está dominando o mercado de trabalho esse ano, conforme a matéria, e dizem que estão se dando muito bem! Que serão os empreendedores do futuro. Me desculpem os mais otimistas, não estou vendo deste jeito. Sinto que a minoria, cerca de 30% no máximo, tem essa característica, o restante é tudo fogo de palha!!!

Forte abraço

Neco Ribeiro

Sobre quem escreve

Colunista

Neco Ribeiro é Coach formado pela ACI – Academia de Coaching Integrativo, chancelado pela ALUBRAT – Associação Luso Brasileira de Transpessoal. Coordenador e Professor de Coaching no IBRESP – Instituto Brasileiro de estudos e Pesquisa. Professor Universitário na Pós-UNG – Universidade de Guarulhos, professor no Sindicato dos bancários do ABC. Autor do livro “Ser Positivo“, colunista no site Zeta e Palestrante em diversas áreas. Já atendeu mais de 300 clientes em processos de Coaching e obteve resultados surpreendentes. Autor do Projeto “Curar sua vida é mais simples do que você Pensa!” – Com aceitação de estudos dos Modelos mentais!

Posts Relacionados

Deixar uma resposta

Seu email não será publicado