A 10ª edição da Campus Party acabou e já deixou saudade para muitos campuseiros. E para alguns, que infelizmente não puderam estar presentes e não sabem o que aconteceu no principal evento de tecnologia do país.

Giane tem 28 anos e é aluna do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Fatec Carapicuíba, além de trabalhar como Software Tester em um grupo bancário. Ela é apaixonada por projetos que utilizam Arduino e também participa de iniciativas em startups.

Acompanhe agora um pouco do bate papo que tive com ela:

Campuseiros

Ctrl Zeta: É a primeira vez que você participa da Campus Party?

Giane: Não, mas é a primeira vez que vou como campuseira. No passado eu frequentei somente a área livre da Campus, venho me programando desde 2016 para o evento.

Ctrl Zeta: Porque decidiu acampar? O que os seus amigos e familiares pensam sobre isso?

Eu decidi acampar para não perder os conteúdos sobre assuntos que gosto e saber como é conviver com pessoas de todas as partes do Brasil dividindo acampamento. Isso deixa muitas pessoas surpresas, mas quem me conhece sabe que gosto muito de tecnologia, e não acham estranho isso.

Ctrl Zeta: O que é a Campus Party para você?

A Campus Party para mim é uma grande família em busca de tecnologia, diversão e troca de conhecimento. A diversidade de ideologias é imensa e dá para absorver bastante conhecimento.

Ctrl Zeta: O que mais você gostou nessa edição da Campus?

Gostei da receptividade das pessoas, da honestidade dos campuseiros se ajudando sempre quando alguém estava em apuros. As brincadeiras, as palestras e os games. Enfim, foram dias inesquecíveis.

Ctrl Zeta: Qual a atração você mais gostou na Arena Campus?

Gostei muito de ser adotada pelas Arduladies (grupo de mulheres makers que ensinam Arduíno). Já conhecia a Gedeane Kenshima, que ministra oficinas de arduino na Fatec, e na Campus acabei conhecendo as outras meninas e pude acompanhar as oficinas de perto.

campuseiros

Ctrl Zeta: E na Open Campus, o que mais gostou?

Pra quem não conseguiu ir para a Arena, a Open Campus ofereceu muitas atrações, tais como oficinas de robótica, corrida de drones e a batalha de robôs, que foi a atração que mais gostei.

A melhor das Campus

Ctrl Zeta: Nesta edição além do The Big Hackathon que foi organizado pela Campus Party e a ONU, outras empresas fizeram os seus Hackathons. Você chegou a participar de algum? O que pensa sobre essas iniciativas?

Gostei muito de ter participado do evento promovido pelo pessoal do EduLivre, onde buscam soluções para que a educação esteja ao alcance de todos.

Pensei em me inscrever para algum Hackaton, por exemplo do Banco do Brasil ou Facebook, mas eu iria perder outros conteúdos. Na Campus tem muita coisa acontecendo ao mesmo tempo fica difícil acompanhar tudo que você quer.

Ctrl Zeta: De todas as atrações, qual foi aquela que mais te chamou a atenção pelo lado social e humano?

Achei muito legal a iniciativa da Campus em doar as barracas para moradores de rua. A minha eu deixei disponível para eles.

Ctrl Zeta: Pode me citar um ponto positivo e outro negativo sobre essa Campus Party?

Ponto positivo vai para a organização da Campus Party, que mesmo em meio a crise conseguiram fazer um evento digno e atendeu a maioria das expectativas dos campuseiros.

Ponto negativo, a estrutura do Anhembi precisa de reparos, nos dias em que choveu forte haviam goteiras em algumas barracas no camping e também em algumas bancadas e isso acabou quase danificando equipamentos de alguns colegas campuseiros.

Ctrl Zeta: Se você pudesse mudar algo que aconteceu durante estes dias, o que seria?

Está certo que ninguém vai num evento de tecnologia desse porte para dormir, pois todos querem aproveitar cada minuto da Campus. Mas, na área de camping as luzes não se apagam durante a madrugada e são intensas demais, isso acaba atrapalhando o sono e fica impossível dormir.

Seria legal ter luzes indicadoras somente.

campuseirosO melhor da Campus

 Para você, o que foi mais importante nesta Campus Party, aprender novas tecnologias ou fazer network?

O mais importante pra mim foi fazer um networking super bacana que pode render frutos até para a faculdade da qual faço parte, Fatec Carapicuiba.

Eu participei da edição do Garotas Makers do site Embarcados e após terminar uma palestra sobre o assunto, uma menina veio me procurar e vamos iniciar futuramente uma parceria para o ensino, isso não tem preço!

Qual foi a sensação de passar todos os dias longe de casa para ficar em uma barraca rodeada por pessoas desconhecidas?

Eu me senti muito a vontade, a maioria dos campuseiros são veteranos e através de um grupo na internet eles respondiam as dúvidas e davam dicas sobre o que levar, como fazer, o que comer e etc. Impossível ficar sozinha, já fiz amizade na fila antes mesmo de entrar.

Avaliação da #CPBR10

De 0 a 10, qual a nota que você daria para a Campus Party nos quesitos de organização, segurança, limpeza, atrações e inovação? E por quê?

Organização: Nota 10, o staff estava de parabéns, sempre bem humorados e prestativos. Não houve nenhum incidente.

Segurança: Nota 6, pois não tinha Raio-X para revistar bagagem, a revista foi feita a olho, abrindo mala por mala e olhando tudo, o que atrasou um pouco a entrada e saída dos campuseiros. Nos últimos dias de evento os seguranças estavam tão cansados que não revistavam bolsas menores.

Em compensação, houve cadastro de digital que deu mais segurança para acesso a arena e área de camping. Haviam também bombeiros por toda parte do evento e ambulatório.

Limpeza: Nota 10, é obrigação nossa não jogar lixo no chão e em cada corredor haviam cestos de lixo. Infelizmente alguns campuseiros não têm noção e acabavam deixando lixo na bancada, o pessoal da limpeza passava a todo momento perguntando se tinha lixo e limpando as mesas. Muito bom!

Atrações: Nota 10, haviam atrações para todos os gostos, desde jornalismo até segurança, passando por games.

Apesar dos campuseiros veteranos reclamarem um pouco da falta de mais atrações internacionais, pra mim o evento não deixou a desejar.

Inovações:  Nota 8, achei muito interessante o fato de ter curadores com o palco 1 e 2, palestras que foram votadas pelos campuseiros para fazer parte das atrações.

O único problema é que o palco e o monitor não davam a visibilidade que a palestra precisava. Precisaria de uma tela maior para todos acompanharem.

O espaço para startups no espaço Open também foi uma atração a parte.

Que vem a #CPBR11

campuseirosQual o recado que você daria para as pessoas que nunca vieram ou nunca tiveram a oportunidade de participar da Campus Party?

Foi minha primeira Campus como campuseira e pretendo não faltar a mais nenhuma, é um evento que reúne empreendedorismo, oficinas, networking, games

Enfim, é o maior evento nerd do Brasil, um lugar onde se encontram todas as culturas possíveis.

A troca de informação por lá é algo mútuo. O lugar não dorme e de madrugada tem atrações como, banda de jazz, campeonato de games.

Outro atrativo da Campus são os brindes, é super divertido correr atrás deles e os patrocinadores são generosos, precisei de bolsa extra pra trazer tudo que ganhei.

Enfim, vá com humor, divirta se, aprenda, ensine e seja épico!!

Sobre quem escreve

Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Faculdade de Tecnologia de Carapicuíba

Posts Relacionados