kenji

O tempo passa, e cada vez mais o homem tenta deixar a máquina o mais parecido possível de um ser humano. Recentemente um robô chamado Kenji, criado para produzir emoções (inclusive o amor) demonstrou uma reação inesperada.

Em um dos dias de trabalho, quando a pesquisadora tentou ir embora, Kenji bloqueou sua passagem e ficou pedindo abraços insistentemente enquanto emitia ruídos estranhos. Ela só conseguiu sair, após pedir socorro por telefone, quando outros integrantes da equipe que estavam do lado de fora da sala desligaram o robô pelas costas.

De acordo com o site Geekologie, onde a nota foi publicada originalmente, um dos pesquisadores do projeto, garantiu que Kenji será desligado permanentemente, mas acredita que essa reação será estudada e servirá para aprimorar ainda mais as máquina para que, no futuro, possamos viver lado a lado com elas e até amá-las.

Concluímos 2 coisas com isso:

1. Que as máquinas podem sim dominar se revoltando contra o seu próprio criador.

2. Que japonês é ruim de arranjar mulher e para suprir o seu desejo cria um robô capaz de ama-lo.

Para quem não se recorda existe um filme que retrata mais ou menos isso. Ele se  chama o homem bicentenário, tem a participação de Robbin Willians.