Sensores são meios eletrônicos que respondem à um estímulo físico ou químico de maneira específica e que permite a sua verificação.

Já, algumas vezes na vida, imaginamos um dia existirem narizes eletrônicos ou sensores que possam identificar um cheiro desde uma pessoa até, possivelmente, tudo que possa transmitir um cheiro, como fazem os cachorros que identifica uma determinada coisa pelo o seu cheiro, por exemplo: drogas ou até mesmo determinados tipos de cânceres. Foi constatado que um cachorro consegue identificar câncer de próstata pela a  urina e, também, 90% ao identificar o cheiro do câncer de ovário.cães farejadores

Estamos caminhando para um dia no qual possa existir sensores de cheiro, ou melhor, narizes eletrônicos.

De acordo com o site Ubergizmo, o executivo acredita que a nanotecnologia já possui um nível de desenvolvimento maduro, possibilitando a criação de sensores capazes de reproduzir cheiros pequenos o suficiente para serem instalados em dispositivos portáteis.

Enquanto em Tóquio:

Cientistas criam detector de cheiro usando ovos de rã transgênicos

A meta é: criar dispositivos mais precisos na detecção de gases poluentes. Este estudo foi feito no Instituto de Ciência Industrial da Universidade de Tóquio. Isto ajudaria para ser utilizado para verificar o nível de álcool no sangue, detectar gases ou poluição no ar e auxiliar a identificação de alimentos que estejam estragados.

Por fim, podemos ter smartphones com sensores de cheiro daqui há cinco anos. O CEO e a empresa de pesquisa em nanoeletrônica, IMEC, diz que, a nanotecnologia já está bem madura para possibilitar isto e, um dia, podem existir nos narizes eletrônicos, que são bem eficientes e podem ajudar as pessoas que não sentem cheiro ou ser usado como dispositivo de segurança, junto com o sensor biométrico.

Outro exemplo de Como o Sensor de Cheiro pode ser Usado:

Pelo o jornal Japan News, o líder do grupo de pesquisadores e professor da universidade de Tóquio, Shoji Takeuchi, disse: “O mecanismo dos insetos para distinguir cheiros é mais simples do que o dos mamíferos e, portanto, mais fácil de conduzir. É adequado para um sensor de pequeno tamanho”, e poderia ser usados por exemplo, em resgate de pessoas e animais.

Cientistas da Universidade de Tóquio, da Academia de Ciência e Tecnologia de Kanagawa e da companhia química Sumitomo Chemical, criaram um sensor que podem ser instalados em mosquitos que voarão como drones e que, identificam cheiro humano e de animais, segundo o jornal japonês Yomiuri.

Sobre quem escreve

Posts Relacionados