Seu emprego um dia vai te matar…

Depois de ler ao texto "Profissão vs Emprego - Você sabe a diferença?" do meu amigo Neco, fiquei cada vez mais motivado para estudar sobre o assunto.Depois de ler o texto “Profissão vs Emprego – Você sabe a diferença?” do meu amigo Neco Ribeiro, fiquei cada vez mais motivado para estudar sobre o assunto.

Como muitos sabem, eu estive participando pela 2ª vez da Campus Party neste ano, e um dos assuntos mais comentados (depois de tecnologia), era o futuro das profissões no mundo e como o emprego das pessoas são prejudiciais à saúde.

 

Ao ouvir que o emprego errado pode matar as pessoas, tive que pesquisar mais ainda sobre o assunto e encontrei diversas matérias, fora diversas pesquisas científicas sobre o assunto.

Além de doenças cardiovasculares, seu emprego ainda pode te trazer graves problemas, como depressão, ou até mesmo, a Síndrome de Burnout.

A Síndrome de Burnout

Em 1974 o famoso psicanalista Freunderberger chegou a conclusão do que é a síndrome, na qual a pessoa apresenta um processo gradual de desgaste no humor ou desmotivação em seu emprego. Depois de ler ao texto "Profissão vs Emprego - Você sabe a diferença?" do meu amigo Neco, fiquei cada vez mais motivado para estudar sobre o assunto.

Durante sua análise, o psicanalista acompanhou voluntários por cerca de um ano, analisando seus sintomas físicos e psíquicos, e, em muitos casos, foi denotado um estado de esgotamento profissional.

A pessoa que possuí a síndrome tem um intenso desejo de ser o melhor e demonstrar o seu alto nível de desempenho no trabalho, ele sempre busca elevar a sua autoestima através da sua capacidade de realização e sucesso.

No início, a pessoa tem uma imensa sensação de prazer, mas termina da pior forma quando esse desempenho não é reconhecido.

Atualmente, essa patologia pode atingir pessoas de diversos setores, mas o crescimento em profissionais das áreas de tecnologia está preocupando os psicólogos.

Vamos relembrar a diferença de emprego e trabalho…

O emprego é uma atividade na qual o profissional está atuando por necessidades financeiras, não porque ele deseja estar naquela empresa ou naquele cargo por vontade própria.

Todos já passaram por esta situação (ou irão passar ainda), seja por questões financeiras ou pelo fato de ser o primeiro emprego, em busca de colocação no mercado.

Já o trabalho vai muito além da questão financeira, o trabalho leva a pessoa para uma realização profissional com a qual ela sempre sonhou.

O trabalho sempre terá relação com o estilo de vida que a pessoa leva ou o que ela quer para o futuro. Com o trabalho, nós vamos atrás de nossos projetos, metas e objetivos pessoais.

Em muitos casos, ter um emprego pode trazer estabilidade financeira para o profissional, mas isso não quer dizer que ele será feliz com o que faz ou que ele irá trabalhar menos.

Ter um trabalho em vez de um emprego também não quer dizer que será fácil. Se você não correr atrás do seu sonho e se esforçar para isso, continuará tendo a mesma vida que tem hoje.

Saia do seu emprego agora!

Aqui vai uma dica minha, que tenho aprendido estudando ou vendo muitos profissionais valorizados no mercado falando: estudem e vão atrás de conquistar seus objetivos, a felicidade não irá chegar sozinha!

Vejo muitos empresários contando como desistiram de seus empregos como executivos em grandes empresas nacionais e internacionais porque não eram felizes.

Fico me perguntando, nós somos realmente felizes com nossos empregos, ou estamos apenas acomodados?

Uma pessoa acomodada com seu emprego vai ficar naquilo por anos, terá um aumento anual, irá reclamar do chefe para o resto da vida, provavelmente terá uma vida financeira estável, irá casar, ter filhos, e continuar financiando casas e carros para o resto da vida.

Será que é isso o que realmente queremos?Depois de ler ao texto "Profissão vs Emprego - Você sabe a diferença?" do meu amigo Neco, fiquei cada vez mais motivado para estudar sobre o assunto.

Já parou para pensar que você pode ser muito melhor do que isso, se quiser?

Pense melhor, existem muitas coisas que o ser humano ainda não criou!

Você pode ser o novo Bill Gates, Steve Jobs, Mark Zuckerberg ou até mesmo o próximo Elon Musk. Já pensou nisto?
 

Revisado por: Romário Sergio

Caio Lourenço

Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Faculdade de Tecnologia de Carapicuíba