TSU (pronuncia-se “SU”) é uma rede social que remunera seus usuários pelas suas interações. Nela, você pode compartilhar fotos, vídeos e qualquer tipo de conteúdo com seus amigos e seguidores.

Nada mais justo, pois é a partir das ações do usuário na rede social que a mesma ganha dinheiro.

Site TSU

Plataforma de monetização social, segundo seu criador – (Foto: Divulgação TSU / Breno Augusto)

É assim no Facebook e em todas as redes sociais, porém, o TSU se difere dos demais, pois retorna parte deste valor a quem a faz ser grande e poderosa: você!

E não é pouco o retorno!

O TSU devolve aos usuários 90% dos ganhos gerados com a utilização da rede social, ficando com os outros 10%.

Uma das políticas do TSU é: “você gera o conteúdo, ele te pertence”. E a este conteúdo o TSU dá muita importância.

Diferentemente do Facebook, que restringe a distribuição do seu conteúdo, para daí criar uma das suas formas de remuneração, o TSU envia seu conteúdo a todos os seus amigos e seguidores, sem restrição.

Postou, todo mundo recebe.

Outra forma de ganhar com o TSU é convidar amigos. Caso eles se inscrevam usando seu shortcode, você também ganha por isso. Nada mais justo, pois você trabalha como recursos humanos da plataforma ao trazer pessoas para a rede social.

Como o TSU funciona

O TSU foi criado por Sebastian Sobczak, em 21 de outubro de 2014 e, foi definido pelo seu fundador como uma plataforma de monetização social.

Nela você cria seu perfil, sua página, gera conteúdo, curte, compartilha e comenta, assim como no Facebook. Porém, ao criar seu perfil, você também fornece seus dados bancários para que o site lhe deposite o valor devido pelas suas interações.

Após seus ganhos somarem U$ 100,00 você já pode fazer o resgate.

Por meio de uma ferramenta dentro do seu perfil chamada “Bank”, você acompanha a evolução dos seus ganhos, conforme seu conteúdo é visto, curtido, compartilhado e comentado.

O TSU também possui uma ferramenta chamada “Analytics”, onde você pode monitorar o desempenho de seus posts. Assim, você pode saber o que é mais bem aceito e aumentar seus ganhos.

Analytics do TSU

Você pode verificar o desempenho dos seus posts por meio do “Analytics” (Foto: Divulgação TSU / Breno Augusto)

Por valorar o conteúdo criado por seus usuários, o TSU preza muito pelo direito autoral, por isso, segue as normas estabelecidas pelo Digital Millennium Copyright Act (DMCA) – lei aprovada no Congresso dos EUA em 1998 para tratar de violação de direitos autorais em meios eletrônicos.

Dessa forma, quem deseja ganhar dinheiro postando material que é protegido por lei como fotos, vídeos, músicas e textos de outras pessoas, poderá ser penalizado pela rede social.

Show me the money!

É possível ganhar dinheiro com o TSU das seguintes formas:

  • Criando um post que pode ser também enviado ao Twitter e Facebook;
  • Publicando fotos que podem ser editadas em uma ferramenta própria dele. A plataforma incentiva que se utilize fotos próprias devido a sua política de direitos autorais;
  • Publicando vídeos;
  • Compartilhando posts de outros usuários também gera um rendimento, porém, parte dos ganhos é dividido com o autor do post original;
  • Usar hashtags não traz ganhos imediatos, porém, pode facilitar a visualização do seu post,  pois ele estará categorizado e poderá ser visto em determinadas pesquisas;
  • Você pode criar ou fazer parte de grupos. Neste caso o TSU divide os 90% de ganhos de tudo o que acontece com o grupo entre os criadores de conteúdo, os administradores do grupo, o proprietário do grupo e parte para a caridade;
  • Convidando amigos você cria uma espécie de pirâmide ou árvore de família. Neste caso, os ganhos dos amigos que você convidou são divididos com você e com aqueles que te convidaram;

Cutucando a onça

Por ter uma proposta onde todos ganham, o TSU vem apresentando uma grande aceitação na internet.

Em seu primeiro ano de existência, alcançou 4,5 milhões de usuários em todo o mundo, o que é um número superior aos apresentados pelo Facebook e Twitter juntos, em seu primeiro ano de existência.

Talvez seja por isso que, a partir de 25 de setembro de 2015, o Facebook realizou o bloqueio e eliminação de posts que mencionaram o TSU. Isto também ocorreu nas suas plataformas Instagram e Messenger.

Em declaração ao TechTudo, o Facebook Brasil declarou na época que:

“Todos os aplicativos e sites que utilizem nossa API devem seguir a política da nossa plataforma.”.

Porém, em declaração ao Huffington Post, o CEO Sebastian Sobczak, afirmou que o TSU não se utiliza da API do Facebook e que, mesmo enquanto bloqueados, recebiam mensagens de conformidade às regras.

Já sabemos que o Facebook realmente penaliza quem não respeita suas políticas, como vimos em posts anteriores.

Talvez por isso, ou por sua ação gerar mais propaganda ao TSU do que o contrário, o Facebook voltou atrás e hoje tem aceitado posts com links para o TSU, conforme testes do Ctrl Zeta confirmaram:

Facebook permitiu novamente a divulgação do TSU

Facebook liberou divulgação do TSU em sua rede (Foto: Divulgação Facebook / Breno Augusto)