Quem recebeu esta tela (imagem abaixo) teve de aceitar até o dia 24 de setembro para poder continuar utilizando o aplicativo de bate-papo. Mas, a grande maioria dos usuários não aprovou os novos termos de uso e privacidade ou não gostou de ser obrigado a compartilhar seus dados com o Facebook. Além disso, o WhatsApp se mostrou contraditório em sua política de não vender anúncios.

WhatsApp contraditório

Novos termos do WhatsApp com opção para desmarcar compartilhamento

Isso quem afirmou foi o IDEC (Instituto de Defesa do Consumidor) que realizou uma pesquisa entre os dias 8 e 21 de setembro com mais de 2 mil pessoas.

Segundo o IDEC, 88% dos entrevistados consideraram as novas regras confusas ou injustas. Menos de 3% aceitaram de bom grado as novas regras, pois o aplicativo é gratuito. Gratuito?

WhatsApp contraditório

A maioria não gostou. Quem gostou talvez coma comida estragada se for de graça

Além disso, o IDEC verificou que os novos termos ferem o Marco Civil da Internet e o Código de Defesa do Consumidor (CDC).

O CDC não permite que a expectativa criada inicialmente pelo WhatsApp em seus usuários, de não compartilhamento de seus dados, seja quebrada. Mesmo que o serviço seja gratuito.

E foi justamente isto que ocorreu após o WhatsApp mudar a regra de privacidade sem dar ao usuário a opção de continuar utilizando o aplicativo conforme as regras anteriores.

Talvez, seja por isso que o IDEC protocolou no dia 28 de setembro um ofício na Secretaria Nacional do Consumidor solicitando providências referente aos novos termos do WhatsApp.

Compartilhamento de dados é opcional

Apesar disso, a tela de aceite dos novos termos dava a opção de desmarcar o item específico de compartilhamento dos dados com o Facebook. Para quem não desmarcou no momento do aceite pode desabilitá-lo após.

Mas isso só pode ser feito até 30 dias depois de aceitar os novos termos.

Para fazê-lo, vá até Configurações, e dentro da opção “Conta” desmarque a caixa que diz “Compartilhar dados da minha conta do WhatsApp com o Facebook…”.

WhatsApp contraditório

Contraditório: usuário tem só até 30 dias após aceite para desabilitar o compartilhamento

Era ruim e piorou

Mas, e se a antiga política de privacidade do WhatsApp já não fosse boa? Então o que era ruim ficou pior?

Pode ser isso mesmo, pois em 2015 a ONG americana Electronic Frontier Foundation (EFF), que luta pelo direito a privacidade na internet, publicou um estudo que anualmente nomeia as melhores e piores empresas em termos de cuidados com a privacidade e dados dos usuários.

A única estrela alcançada pelo aplicativo foi concedida não por ações da própria empresa. Essa estrela se deveu pela política do Facebook, que já era proprietário do WhatsApp, de “coibir vigilância massiva de seus usuários”.

Os outros quesitos que o estudo avalia e que o WhatsApp não foi aprovado naquela época foram:

  • Seguir as melhores práticas aceitas pelas indústrias;
  • Avisar aos usuários sobre solicitações de governo para enviar dados pessoais;
  • Publicar relatórios de transparências e as balizas para atender requerimentos legais;
  • Ser transparente sobre a frequência com que bloqueia ou remove conteúdos em benefício de governos (este item não se aplica ao WhatsApp).

O WhatsApp teve um ano para resolver estas questões, porém, em 2016 continuou da mesma forma.

Uma ação “simples” de realizar e facilitar o cumprimento de alguns destes itens seria se todos estes dados transmitidos pelo WhatsApp fossem criptografados.

Mas eles são!

Segundo o WhatsApp, desde abril deste ano, todas as mensagens, fotos, vídeos, mensagens de voz, documentos e ligações dos usuários são protegidas por criptografia de ponta-a-ponta.

Neste sistema, os dados que saem do seu smartphone são embaralhados antes de serem enviados e depois desembaralhados no aparelho que recebeu os dados.

Isto acontece conforme uma chave que só você e seu receptor possuem. E para que isto ocorra é necessário que ambos tenham a última versão do aplicativo instalada.

WhatsApp contraditório

Contraditório: chave criptográfica que só você e seu receptor possuem

 

Dessa forma, nem hackers, nem governos, nem empresas e nem o próprio WhatsApp, teriam acesso aos seus dados.

 

WhatsApp contraditório

Contraditório: nem o WhatsApp pode ver suas mensagens! Será?

Nem pelo WhatsApp?

Sim, segundo consta no seu site e no próprio aplicativo, nem o WhatsApp tem acesso aos seus dados devido a criptografia de ponta-a-ponta…

Ué… Você aí teve a mesma dúvida que eu?

“Como o WhatsApp compartilhará meus dados se ele não tem acesso devido a criptografia de ponta-a-ponta?”

Vamos voltar então à avaliação da ong EFF que repetiu a nota 1 para o aplicativo em 2016. Se ele recebeu uma única estrela, será que seus dados são realmente criptografados?

Contraditório

Pensando então que o WhatsApp não possui criptografia e compartilha seus dados:

  • Quem não possui conta no Facebook terá seus dados compartilhados? Com quem? Para quê?
  • Se eu acessar o WhatsApp Web, ele compartilhará os dados do meu notebook ou desktop?
  • Como o Facebook irá saber que os dados que o WhatsApp enviou são referentes a qual conta no Facebook?

Bom, essa última eu mesmo me arrisco a responder. Primeiro, se você tiver seu número de celular cadastrado no Facebook sua conta já foi identificada em milionésimos de segundos.

WhatsApp contraditorio

Contraditório: WhatsApp e a privacidade trilhando caminhos diversos

Mas, caso você não tenha seu número de celular no Facebook, sua conta pode ser identificada através de:

  • Sua foto de perfil comparada em ambas as redes sociais, pois ele pode identificar se duas feições são parecidas ou idênticas. Caso não seja a mesma foto, aí fica mais fácil ainda;
  • Agenda de contatos cruzada com lista de amigos;
  • Fotos e vídeos cruzados com fotos e vídeos, pois o computador pode saber se duas fotos ou dois vídeos são iguais;
  • Palavras chave, termos utilizados, forma de escrever, interesses em determinadas épocas (por exemplo, você vai renovar seguro do carro e toca neste assunto em ambos aplicativos na mesma época… já era)

Só com isto a maioria das pessoas já foi identificada e começará a receber anúncios no Facebook que coincidem com conversas que teve no WhatsApp no mesmo dia que tocou no assunto.

Deixar uma resposta

Seu email não será publicado